Pré-Cambriana

Este aqüífero compreende as rochas gnáissico-migmatíticas do Embasamento Cristalino, nas quais o armazenamento de água subterrânea está condicionado ao maior ou menor desenvolvimento das fraturas ou sistemas de fraturas que afetaram essas rochas.

Levantamentos de campo e estudos fotogeológicos revelam que os sistemas de fraturas dominantes na área da RMC estão dispostos nas direções preferenciais N30º-50ºW, N40º-60ºE e N-S.

O aqüífero cristalino fraturado, encontra-se coberto por um manto de intemperismo de espessura variável - em geral entre 5 e 20 m - que lhe confere, localmente, características confinantes ou semi-confinantes, favorecendo por outro lado condições para uma recarga contínua do sistema através da drenagem vertical descendente. Apesar dessas condições, o aqüífero cristalino, por sua própria natureza, não oferece condições de armazenamento de volumes consideráveis de água subterrânea, muito embora, em situações especiais - com zonas de fraturas desenvolvidas e abertas - seja possível obter-se poços com vazões excepcionais da ordem de 100 m3/h.

Observa-se que, em cerca de 70% dos poços perfurados no cristalino na RMC, as entradas de água se localizam entre 50 e 200 m de profundidade e que em somente 10% estão compreendidas entre 200 e 300 m. No universo de cerca de 700 poços cadastrados no Banco de Dados Hidrogeológicos da SUDERHSA, apresentam profundidade média de 124 metros, vazão média de 8 m3/hora. Informações recentes de poços com mais de 300 metros, demonstram um aumento da probabilidade de obtenção de água subterrânea nestas condições.

Por outro lado 58% dos poços apresentam vazões compreendidas entre 2 - 10 m3/h e que 18% têm vazões menores do que 2 m3/h. Além disso, verifica-se ainda, que as vazões específicas dos poços do aqüífero cristalino fraturado, apresentam valores variáveis desde 0,14 m3/h/m até 32 m3/h/m, o que revela a grande heterogeneidade do sistema.

Admite-se para a área aproximada da ocorrência 7.540 km2, um potencial hidrogeológico de 5,6 L/s/km2.

De acordo com a distribuição iônica média, as águas subterrâneas do aqüífero Cristalino podem ser classificadas como Bicarbonatadas Cálcicas, apresentando 140 mg/L (ppm) de conteúdo médio de Sólidos Totais Dissolvidos.

Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem