Monitoramento da Qualidade das Águas

A disponibilidade de água, tanto em quantidade como em qualidade, é um dos principais fatores limitantes ao desenvolvimento regional considerando-se tanto o meio urbano como o rural. Pelas características do seu ciclo, a quantidade da água no planeta tem se mantido aproximadamente constante desde a antigüidade. Por isso, tecnicamente, ela não está se tornando escassa. O que ocorre é uma carência da água para atender determinadas demandas que estejam associadas a uma qualidade mínima, respeitada a sua disponibilidade local.

As causas desta carência são comumente associadas à poluição dos recursos hídricos e ao direcionamento estratégico de atividades consultivas para regiões onde sua disponibilidade natural é limitada. Por falta de estudos específicos no passado, mesmo que a disponibilidade quantitativa no Brasil seja impressionante, a maior parte das regiões brasileiras vivenciam hoje conflitos pelo uso da água motivados pela heterogeneidade da sua distribuição espacial, pelo adensamento populacional descontrolado, pela ocupação desordenada da área de drenagem das bacias hidrográficas, pelo direcionamento estratégico agro-industrial sem que as outorgas e licenciamentos sejam comparados à disponibilidade local e à sua capacidade de carga, além dos desperdícios na conservação do recurso.

Portanto, numa estratégia de sustentabilidade de longo prazo, o problema da carência dos recursos hídricos deve ser entendido como uma dupla preocupação: a da quantidade da água, necessária para atender a demandas atuais e futuras, e a da qualidade, necessária para permitir o seu uso sem o comprometimento das demandas ecossistêmicas.

Para subsidiar as ações de conservação da qualidade das águas frente a este quadro, os instrumentos de outorga de uso da água e licenciamento das atividades potencialmente poluidoras necessitam de fundamentação técnica respaldada na capacidade assimilativa dos corpos d'água receptores. Para tal estabelecemos um sistema de monitoramento da qualidade das águas, baseado no conceito de cargas poluentes, capaz de usar as informações existentes, complementando-as de modo a adequar a rede de coleta às necessidades de representatividade, seleção de variáveis e freqüência amostral.

Em relação aos recursos hídricos, o Estado do Paraná está sub-dividido em 16 bacias hidrográficas. A rede de monitoramento da qualidade das águas é composta por 164 estações em rios, como descrito abaixo:

-Bacia do Cinzas ........................... 5
-Bacia do Iguaçu ............................ 95
-Bacia do Itararé ............................ 2
-Bacia do Ivaí ................................. 11
-Bacia Litorânea ............................ 13
-Bacias do Paraná .......................... 4
-Bacias do Paranapanema ............... 1
-Bacia do Piquiri ............................. 8
-Bacia do Pirapó ............................. 1
-Bacia do Ribeira ..............................8
-Bacia do Tibagi ..............................16

Para estes pontos, estão disponíveis no Sistema de Informações Hidrológicas – SIH , dois tipos de informações: parâmetros de qualidade de água e Índices de Qualidade de Água - IQA. Os diversos parâmetros que qualificam a água vem sendo analisados e processados, assim como o IQA vem sendo calculado, desde o início dos anos 80.

É através destes parâmetros que os técnicos qualificam a água, definindo assim os possíveis usos aos quais ela pode servir. Entretanto, a operação de uma rede de monitoramento de qualidade das águas origina uma grande quantidade de dados analíticos, sendo difícil sua compilação e apresentação de uma maneira sintética, mais fácil de ser apreendida pelo público. Esta dificuldade levou ao desenvolvimento, em vários países, de índices que procuram expressar a qualidade da água de uma maneira global, sintetizando os resultados dos diversos parâmetros analisados. Um desses índices é o IQA - Índice de Qualidade das Águas. Ele é uma espécie de nota atribuída à qualidade da água, podendo variar entre zero e cem.

Projetos com objetivos específicos, como o PNMA - Programa Nacional do Meio Ambiente , também tem seus dados inseridos no SIH, porém além disso possuem processamento diferenciado das informações, o que permite a geração de produtos orientados ao atendimento de seus propósitos.

Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem