Notícias

05/12/2017

IAP e AGUASPARANÁ realizam 1º fórum de piscicultura no noroeste do Estado

O Instituto das Águas do Paraná e o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e realizaram nos dias 22 e 23 de novembro, o 1º Fórum de Piscicultura do Noroeste do Estado do Paraná, em Querência do Norte. A finalidade do evento foi de promover a expansão sustentável da atividade na região.

No primeiro dia de encontro, os interessados em ingressar no ramo da piscicultura tiveram a oportunidade de receber assistências técnicas de servidores dos institutos. Enquanto no segundo dia do encontro os participantes do Fórum puderam acompanhar palestras sobre produção e propagação de peixes. 

O secretário estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, Antonio Carlos Bonetti, também esteve presente no evento. Para ele, “essa é mais uma oportunidade para discutir a expansão de atividade que pode trazer benefícios econômicos e sociais para o estado, através da produção sustentável, compromissada com a preservação do meio ambiente, lembrando que sem as florestas, matas ciliares, sem a preservação das nascentes, enfim, sem o devido cuidado com as questões ambientais, a disponibilidade de água, recurso indispensável para a produção de peixes, estaria comprometida”.

PISCICULTURA – O Paraná é um dos maiores produtores de peixes do Brasil. Atualmente, de acordo com o Anuário Estatístico da Associação Brasileira de Piscicultura (Peixe BR), o Paraná ocupa a primeira posição no ranking nacional com a produção de aproximadamente 93.600 toneladas de peixes cultivados, em 2016. Um crescimento de 17% na produção em comparação com o ano anterior, quando a produção foi de 80 mil toneladas.

Para ampliar a produção do setor e atender a demanda dos piscicultores, o IAP se tornou referência nacional no licenciamento ambiental da atividade. Desde 2011, o órgão já emitiu mais de 2 mil licenças ambientais para a atividade em todas as regiões do Estado.

Também como forma de incentivo à atividade, o governador Beto Richa assinou em 2014 uma resolução da Secretaria de Estado do Meio Ambiente para dispensar do licenciamento ambiental espaços de criação de peixes com até 20 mil metros quadrados. Até então, eram liberados documentos de tanques escavados de até 10 mil metros quadrados.

Ministraram as palestras o engenheiro de pesca Robert Gordon Hickson, o professor e doutor da Universidade Estadual de Maringá, Luiz Alexandre Filho, zootecnista e diretor da Copices (empresa frigorífica do setor, do município de Toledo), Sidney Godinho, o produtor de alevinos, Werner Rekowsky. Também esteve presente no evento o Deputado Estadual, Sebastião Medeiros.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.